Dom Pedro II e Dona Teresa – Uma história que já aconteceu com você

Instagram
Compartilhar no Whatsapp


É bem possível que você tenha uma história engraçada de um encontro que marcou com alguém que conheceu pela internet e a pessoa não era nada daquilo que você viu na foto. Ou, quem sabe, a pessoa que marcou sequer apareceu no encontro com você – o que é um grande indício de que a sua foto não correspondeu à realidade e a pessoa desistiu do encontro.

Coisas da vida moderna? De tempos de internet? Nada disto. Uma história muito parecida aconteceu aqui no Brasil com o nosso jovem imperador Dom Pedro II e a nossa imperatriz Dona Teresa Cristina.

O jovem Pedro precisava casar para resolver a questão da sucessão ao trono, pois, embora jovem, o país havia passado pelo desgastante período da regência e precisava mostrar que haveria um longo período de unidade nacional com uma monarquia bem estabelecida.

Começou então a peregrinação para encontrar uma pretendente para ele. Foi bem difícil encontrar alguém que quisesse sair da Europa para vir para nossas terras, porém, depois de muitas negociações, chegaram até a jovem Teresa Cristina de Bourbon que aceitou se casar com Pedro. Ela deu like!

Pedro, um garoto tímido pediu que enviassem um retrato (pintura, no caso) de sua pretendente, e eis que chegou até ele a imagem de uma linda jovem de cabelos encaracolados e rosto delicado. Ele ficou apaixonado. Saiu mostrando a imagem para todo mundo e dizendo que ela era “mui bela”. Deu match!

Apressado, ele enviou uma procuração e oficializou o casamento tornando-a assim Imperatriz do Brasil. Agora, só faltava mesmo conhece-la pessoalmente.

Cerca de quatro meses depois que o casamento havia sido realizado por procuração, finalmente ancorava no Rio de Janeiro a fragata que trazia sua esposa. Pedro então correu para vê-la pessoalmente, mas para seu desalento, ela não era nada do que constava no retrato.

Segundo relatos, ela era baixa, estava acima do peso, seu rosto não tinha nada daqueles traços suaves e, dizem, ainda era manca. Ele ficou decepcionado, correu para sua babá e aos prantos dizia “Enganaram-me Dadama”. Foram dias de choro e tristeza, e não só para ele, claro. Teresa se sentiu péssima pois percebeu que o seu já marido não gostou nada do que viu e anos mais tarde revelou à princesa Isabel que chorou por conta desta rejeição.

Paulo Barbosa e d. Mariana (a Dadama) eram os preceptores (ou babá mesmo) do jovem Pedro e o aconselharam nestes dias de depressão dizendo que ele deveria ter paciência, pois a afeição entre o casal iria surgir com o tempo.

É verdade que por um curto período de tempo esta afeição até existiu, mas o fato é que não durou muito até Dom Pedro II procurar alguma amante que lhe apetecesse aos olhos. E encontrou em Luísa Margarida de Portugal esta amante, que não foi a única, mas era sua escolhida. Os dois mantiveram o relacionamento até a morte.

Dona Teresa, assim como muitas esposas de monarcas, aceitava, ou pelo menos fazia vista grossa, para as amantes de seu marido. A muito contra gosto, claro.

Ok, não é uma história com final feliz, mas pelo menos te mostra que não é de hoje que as pessoas dão um certo “photoshop” na foto do perfil, causando um certo desapontamento ao pretendente quando a conhece pessoalmente.

Se você já passou por uma situação destas, seja dando uma exagerada na produção da foto ou seja se decepcionando com a realidade, não se sinta só. Até um Imperador já passou por isto.

Instagram


Instagram